Rio de janeiro 21 2323-2424
Um Investimentos

BTC

Produtos

Um Investimentos
BTC

O que é?

É uma alternativa de especulação ou proteção quando o investidor acredita na queda do mercado de ações.

O detentor das ações, chamado de doador, autoriza sua transferência a um terceiro, o tomador, em troca de uma taxa acordada. O tomador pode vender esses ativos ou negociá-los no mercado, sendo obrigado a devolvê-los dentro do prazo estipulado entre as partes.

Resumo do investimento

  • Mecanismo desenvolvido para momentos em que o investidor acredita na queda
  • Oferece alto risco e deve estar alinhado com o perfil de investimento agressivo

Comece a investir agora!

Simples, rápido e fácil. Abrir minha conta

Vantagens

  • Sem custo para quem doa suas ações
  • Possibilidade de remunerar sua carteira de ações com baixo risco
  • O doador continua recebendo proventos durante o período do aluguel
  • O tomador se beneficia com a queda da ação.

+

MAIS INFORMAÇÕES

+

Negociação e Liquidação

Negociação e Liquidação

 

DOADOR

Repasse: O Doador recebe um repasse de 0,05% ao ano* sobre o valor da taxa de liquidação do empréstimo paga pelo tomador da operação. *Líquido de tributos devidos à Bolsa

Proventos: Os proventos atribuídos às ações no período do aluguel, como dividendos e subscrições, são destinados ao doador.

Prazo: O doador deve determinar o prazo do aluguel de ações, informando a data final do aluguel.

Disponibilização: Para disponibilizar sua carteira de ações como doador, basta entrar em contato com nossas mesas de operação e solicitar. É necessário que você tenha aderido ao contrato de BTC (Aluguel de Ações) e indique os ativos e quantidades que tem interesse em disponibilizar. Uma vez disponibilizado os ativos ainda aparecerão "livres" em sua custódia, porém já estarão cadastrados em nossa relação de doadores, sendo doados assim que encontrado um tomador interessado. Caso o cliente queira vender ou lançar opções sobre os ativos disponibilizados, deverá comunicar previamente às Mesas de Operação para que possa ser feita a exclusão de suas ofertas.

 

TOMADOR

Margens e Garantias: O total exigido de garantias para uma operação de empréstimo é de 100% do valor dos ativos mais o intervalo de margem específico para cada ativo. A garantia deve estar disponível antes da confirmação da operação e o valor pode variar segundo o risco de mercado da ação. O valor das margens é acompanhado diariamente e, caso necessário, a corretora poderá solicitar chamadas de margem adicionais para o tomador.

Os seguintes ativos são aceitos pela CBLC como garantia e são definidos e revisados periodicamente:

 

  • Ações negociadas na Bovespa;
  • Moeda corrente nacional;
  • Títulos públicos;
  • Ouro (ativo financeiro);
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário).

 

Liquidação / Renovação:

 

  1. A ação alugada poderá ser liquidada durante a vigência do contrato, em qualquer momento a partir do D+1 do registro de abertura, até a data de vencimento do contrato.
  2. Caso não seja, o contrato será renovado automaticamente, tentando-se manter as mesmas características do contrato inicial desde que não haja oscilação nas taxas praticadas no mercado. Se houver alterações, o cliente será informado.
  3. Caso o cliente queira liquidar o aluguel, a recompra das ações alugadas deverá ser feita com três dias úteis de antecedência da data de vencimento do aluguel.
  4. Quando não existir ações disponíveis no mercado para renovar os contratos, o cliente será comunicado da necessidade de recomprar a posição ou de liquidar o aluguel.
  5. Se as ações não forem entregues na data de vencimento do aluguel, a BM&FBOVESPA bloqueia as garantias e cobrará multa diária de 0,20% sobre o valor do empréstimo, adicionalmente, o tomador será responsável por remunerar o doador, até a data da efetiva devolução dos títulos, considerando o dobro da taxa originalmente contratada.
  6. Não ocorrendo a devolução dos ativos na data prevista, a BM&FBOVESPA pode determinar a sua recompra para quitação perante o doador, podendo ainda executar as garantias prestadas, quando necessário.
  7. Na data de renovação, caso o tomador já possua as ações e queira liquidá-las, deverá comunicar à Mesa de Operações impreterivelmente até as 10h, evitando assim que o aluguel seja renovado.
  8. Somente após a liquidação dos contratos é possível solicitar à Bolsa a devolução das margens retidas, retornando para a conta do cliente apenas em D+4 da compra (dia seguinte da liquidação dos aluguéis).
  9. Ocorrendo esta situação, o cliente estará sujeito à cobrança dos encargos, caso não tenha os recursos disponíveis em conta corrente no D+3 da compra do ativo objeto.
+

Garantias

Para o empréstimo de ações, a BM&FBOVESPA; atua como contraparte central de todas as operações, adotando para isso rígidos critérios de controle de riscos e regras para o correto funcionamento do mercado: limites operacionais; chamada de garantias do tomador e seu recálculo em base diária; execução de garantias do tomador no caso de não devolução dos títulos quando do vencimento da operação; emissão de ordem de compra para que os ativos devidos sejam adquiridos no mercado; e aplicação de multa diária ao tomador inadimplente.

Desde a criação do BTC, não houve nenhuma operação que tenha sido liquidada sem a devolução dos ativos e que necessitasse de adoção de mecanismos de execução de garantias e ordem de recompra.

Como contraparte central das operações, a BM&FBOVESPA; garante o anonimato das pontas participantes do contrato. Conforme a Instrução CVM 441, não se estabelece qualquer vínculo entre os doadores e os tomadores do empréstimo.

+

Riscos

Risco de Crédito: É o risco associado ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte, de suas obrigações fiinanceiras nos termos e prazos pactuados, gerando inadimplência ou atraso na liquidação de suas obrigações, resultando em perda financeira para a parte credora;

Risco de Liquidez: É o risco associado à possibilidade de o cliente não possuir recursos financeiros suficientes em uma data prevista para honrar seus compromissos, em razão de descasamentos entre fluxos de pagamentos e de recebimentos seja por:

(a) dificuldade em negociar rapidamente ativos ou posições que possua, por falta de preços ou de liquidez de mercado;

(b) dificuldade para obter funding ou financiamento de sua posição de caixa e com isso manter suas obrigações financeiras adimplentes;

 

Para ambos os casos, o cliente estará sujeito a perdas financeiras.

Risco de Mercado: É o risco associado à possibilidade de perda por oscilação nos preços de ativos diante das condições de mercado. Esse tipo de risco está relacionado às operações realizadas nos mercados de ações, câmbio, taxa de juros e commodities, que podem ser feitas diretamente através da compra e venda de ativos ou operações com derivativos, podendo resultar, inclusive, em perdas ao patrimônio do cliente. Entre os fatores que afetam estes mercados, destacamos fatores econômicos gerais, tanto nacionais quanto internacionais, tais como ciclos econômicos, política econômica, situação econômico-financeira das empresas emissoras de ações e títulos e outros. Em caso de queda do valor dos ativos que compõem a carteira, o patrimônio do cliente pode sofrer perdas, dependendo do momento quando o cliente necessite se desfazer de suas posições.

 

Risco Proveniente do uso de Derivativos: Derivativos são instrumentos financeiros cujas características estão vinculadas a outros títulos, ativos, ou instrumentos que lhe servem de referência. Como exemplo, podem ser mencionados: opções sobre ações, contratos futuros sobre o dólar comercial, sobre o índice BM&FBOVESPA, sobre a taxa DI etc. Risco proveniente de operações realizadas nos mercados derivativos com a finalidade de proteção (hedge) ou alavancagem, que podem ser assim descritos:

 

Hedge: os derivativos são utilizados para reduzir exposições ao risco de determinado ativo/passivo ou mesmo de uma carteira. Nesse caso, o risco está associado a possíveis dificuldades de realização de uma proteção adequada, uma vez que nem sempre as alternativas disponíveis no mercado possuem exatamente as características da exposição que se deseja proteger, como por exemplo: prazo, indexador e outros motivos que causem o descasamento dos preços.

 

Alavancagem: operações com derivativos permitem que seja assumida uma exposição financeira maior que o investimento realizado ou patrimônio líquido em carteira, sendo assim as oscilações do mercado podem resultar em perdas maiores que o investimento realizado pelo cliente.

+

Permanência

Para o registro de um contrato de aluguel não há lote mínimo e nem tempo de investimento, observando a concordância do doador e os parâmetros de risco da Corretora.

+

Desempenho Esperado

O empréstimo de títulos é uma prática na qual, em troca de uma taxa acordada, o detentor de determinados títulos (doador do empréstimo) autoriza sua transferência a um terceiro (tomador do empréstimo).

Ou seja, desta maneira ambas as partes podem prospectar tanto seu rendimento (doador), quanto o seu custo (tomador), portanto, verificando o seu desempenho esperado.

+

Custos

Na ponta tomadora as operações de aluguel de ações têm incidência de taxas de remuneração, registro e emolumento; A taxa de remuneração é determinada pelo doador e paga pelo tomador; A taxa de registro é cobrada pela Corretora, no valor de R$ 5,00 por papel/dia.; O emolumento dependente da natureza do contrato. Para empréstimos fechados voluntariamente, o emolumento é de 0,25% a.a. sobre o volume da operação, observando um mínimo de R$10,00. No caso de empréstimos compulsórios, fechados automaticamente pelo BTC para o tratamento de falhas, o emolumento é de 0,50% a.a., mas nessa situação não há cobrança de valor mínimo. Na ponta doadora não há custos.

As taxas são expressas em bases anuais, sendo cobradas pro-rata conforme o contrato.

+

Tributação

Quanto ao aspecto tributário, para o Doador, a operação de empréstimo de ações possui característica de operação de renda fixa, dada a existência de taxa e prazo pré-determinados. Dessa forma, haverá incidência de Imposto de Renda sobre o rendimento.

 

Prazo

Até 180 dias

De 181 dias a 360 dias

De 361 dias a 720 dias

Acima de 720 dias

Alíquota

22,5%

20%

17,5%

15%

 

+

Conflito de Interesse

O empréstimo de títulos é uma prática na qual, em troca de uma taxa acordada, o detentor de determinados títulos (doador do empréstimo) autoriza sua transferência a um terceiro (tomador do empréstimo).  Ou seja, desta maneira ambas as partes podem prospectar tanto seu rendimento (doador), quanto o seu custo (tomador), portanto, verificando o seu desempenho esperado.

Contato


ondeEstamos2_AtendimentoOnline.jpg
Ainda tem dúvidas em como Investir? Entre em contato agora mesmo, tire suas dúvidas e comece a investir!