Rio de janeiro 21 2323-2424 - 21 3514-4800
 
Um Investimentos

Renda Variável

Produtos

Um Investimentos
Renda Variável



O que são ações?
Características

Investir em Ações com a Um Investimentos é mais fácil e simples. Seja sócio de grandes empresas, participe da distribuição dos lucros e ganhe junto com o seu crescimento. O investimento em ações é de alta rentabilidade e mais recomendado para quem quer investir a longo prazo.
+

Tipos de ações

  • Ordinárias (ON)
    Que proporcionam aos acionistas participação nos resultados e nas decisões das empresas, com direito de voto em assembleias gerais.
  • Preferenciais (PN)
    Que não garantem direito a voto, mas garantem ao acionista a prioridade na distribuição dos lucros (geralmente em percentual mais elevado) e no reembolso em caso de liquidação da empresa.
+

Negociação e Liquidação

Investir em ação é simples e fácil, saiba como dar o primeiro passo:

1 – Abrir uma conta na Um Investimentos;
2 – Transferir recursos para a Um Investimentos;
3 – Entrar em contato com seu Assessor Exclusivo ou acessar seu Home Broker;
4 – Começar a negociar.

Existem duas maneiras de negociar:

Mercado Padrão – São lotes de 100; 1.000; 10.000; e 100.000 ações.
Mercado Fracionário – São lotes de 50 ações.

Exemplo: Se você quiser comprar 100 ações, a negociação é feita no mercado padrão. Agora se quiser comprar 150 ações, você negocia 100 ações no mercado padrão e as outras 50 no mercado fracionário.

Liquidação:
– A liquidação é feita em até 3 dias úteis pela CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia);
– A Um Investimentos é responsável pela entrega dos ativos e pelo pagamento dos recursos financeiros correspondentes ao resultado da compensação multilateral das operações realizadas pelos seus clientes.

  • Liquidação financeira:
    A liquidação financeira ocorre quando o valor financeiro é creditado ou debitado na conta do cliente. Ocorre no terceiro dia útil após a realização do negócio em pregão. Obs.: Para os mercados onde são exigidas margens de garantia, o depósito financeiro (recursos) ou físico (ativos) deve ser realizado previamente, antes da realização de qualquer operação de risco.
  • Liquidação física:
    A liquidação física ocorre quando as ações entram na custódia do cliente. As ações só ficam disponíveis ao "comprador" após a liquidação financeira.

    O investidor deve estar ciente de que ao comprar um ativo e efetuar a venda do mesmo, antes de sua liquidação, estará sujeito a uma possível inadimplência se as ações compradas não forem entregues. Nas operações de Day Trade o IR é retido na fonte com alíquota de 1% sobre o ganho apurado. Nas demais operações, o IR sobre o ganho apurado deverá ser recolhido por meio do carnê-leão. Nas vendas acima de R$ 20.000,00 haverá a incidência na fonte de 0,005%.
+

Garantias

Por não oferecer garantia de retorno, devem ser considerados investimentos de risco.
+

Riscos

Risco de Crédito
É o risco associado ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte de suas obrigações financeiras.

Risco de Liquidez
É quando o cliente não possui recursos financeiros suficientes em uma data prevista para honrar seus compromissos.

Risco de Mercado
É o risco associado à possibilidade de perda por oscilação nos preços de ativos diante das condições de mercado.

Risco Proveniente do uso de Derivativos
Derivativos são instrumentos financeiros cujas características estão vinculadas a outros títulos ativos ou que lhe servem de referência. Risco proveniente de operações realizadas nos mercados derivativos com a finalidade de (hedge) ou alavancagem, que podem ser assim descritos:

  • Hedge:
    os derivativos são utilizados para reduzir exposições ao risco de determinado ativo/passivo ou mesmo de uma carteira. Nesse caso, o risco está associado a possíveis dificuldades de realização de uma proteção adequada, uma vez que nem sempre as alternativas disponíveis no mercado possuem exatamente as características da exposição que se deseja proteger, como por exemplo: prazo, indexador e outros motivos que causem o descasamento dos preços.
  • Alavancagem:
    operações com derivativos permitem que seja assumida uma exposição financeira maior que o investimento realizado ou patrimônio líquido em carteira, sendo assim, as oscilações do mercado podem resultar em perdas maiores que o investimento realizado pelo cliente.

 

+

Permanência

A permanência na operação dependerá da estratégia adotada pelo investidor e as condições de mercado.
+

Desempenho Esperado

O mercado de ações e valores mobiliários em geral, assim como os mercados futuros e de opções, não oferece ao investidor rentabilidade garantida.
+

Custos

Os custos com corretagem gerados nas operações serão:

  • Via Mesa de Operações: Tabela Bovespa aplicada segundo o volume operado;
  • Via Home-Broker: R$ 14,00 por ordem executada.
+

Tributação

Para operações de Day Trade com Ações, o IR é retido na fonte com alíquota de 1% sobre o ganho apurado, o restante (19%) deverá ser pago pelo cliente no mês subsequente à operação. Nas demais operações, a alíquota do IR é de 15% sobre o ganho apurado, que deverá ser recolhido por meio do carnê-leão.
Nas vendas acima de R$ 20.000,00 no mês, haverá a incidência na fonte de 0,005%.
Nas vendas abaixo de R$ 20.000,00 no mês, o cliente ficará isento do pagamento de IR.
+

Conflito de Interesse

É uma ação ou participação que pode ser direta ou indireta de qualquer profissional ligado à Instituição em situação que:

  • Propicie benefícios próprios e exclusivos;
  • Cause influência ou prejudique a condução das tarefas profissionais;
  • Possa causar prejuízos à reputação profissional ou à imagem da Instituição;
  • Desvie oportunidades de negócios da Instituição;
  • Gere concorrência com a Instituição em quaisquer atividades de negócios.


Qualquer situação que caracterize ou que possa vir a acarretar situações de conflitos de interesse deve ser avaliada com cuidado. Faz-se necessário que na avaliação antecipada sejam verificados aspectos com relação à recepção, intenção, impacto e objetividade da situação ou informação recebida ou fornecida.
Opções sobre Ações
Características

Se você está procurando por uma boa estratégia de proteção, o mercado de opção foi feito para você.

No Mercado de Opções, lotes de ações são negociados (opções de compra e venda) com preços e prazos predeterminados.

Os direitos que você, investidor, terá sobre os ativos ao adquirir uma opção, valem até a data de vencimento (modelo Americano) ou na data de vencimento (modelo Europeu) podendo também revendê-los no mercado.

Veja os Ativos-Objetos mais lançados no mercado:

  • Ações
  • Índices
  • Moedas estrangeiras
  • Commodities
  • Contratos futuros

Existem no mercado dois tipos de opções:

  • Opção de Compra (call)
  • Opção de Venda (put)


+

Negociação e Liquidação

Existem duas modalidades de negociação de opções. Na Bovespa, as opções de compra são do tipo americana e europeia e as opções de venda são do tipo europeia.

Tipo Americana – É o contrato de opção em que o titular pode exercer seu direito a qualquer momento, limitado à data de expiração do contrato.

Tipo Europeia – É aquela em que o titular poderá exercer seu direito somente na data do vencimento do contrato da opção.

Código:
O código de uma opção é formado pelo código da ação do ativo-objeto, seguida do mês de vencimento (representado por uma letra) e do número que indica a série da opção (ou o preço de exercício da opção).

Compra Venda Mês
A M Janeiro
B N Fevereiro
C O Março
D P Abril
E Q Maio
F R Junho
G S Julho
H T Agosto
I U Setembro
J V Outubro
K W Novembro
L X Dezembro

A opção vence toda 3ª segunda-feira de cada mês. As compras e vendas de opções são liquidadas em D1, ou seja, um dia útil após a realização das operações.
+

Garantias

O investimento em opções não possui patrimônio garantido.
+

Risco

Risco de Crédito:
É o risco associado ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte, de suas obrigações financeiras.

Risco de Liquidez:
É quando o cliente não possui recursos financeiros suficientes em uma data prevista para honrar seus compromissos.

Risco de Mercado:
É o risco associado à possibilidade de perda por oscilação nos preços de ativos diante das condições de mercado.

Risco Proveniente do uso de Derivativos:
Derivativos são instrumentos financeiros cujas características estão vinculadas a outros títulos, ativos ou instrumentos que lhe servem de referência. Risco proveniente de operações realizadas nos mercados derivativos com a finalidade de proteção (hedge) ou alavancagem, que podem ser assim descritos:

  • Hedge:
    os derivativos são utilizados para reduzir exposições ao risco de determinado ativo/passivo ou mesmo de uma carteira. Nesse caso, o risco está associado a possíveis dificuldades de realização de uma proteção adequada, uma vez que nem sempre as alternativas disponíveis no mercado possuem exatamente as características da exposição que se deseja proteger, como por exemplo: prazo, indexador e outros motivos que causem o descasamento dos preços.
  • Alavancagem:
    operações com derivativos permitem que seja assumida uma exposição financeira maior que o investimento realizado ou patrimônio líquido em carteira, sendo assim, as oscilações do mercado podem resultar em perdas maiores que o investimento realizado pelo cliente.

 

+

Permanência

A permanência na operação dependerá da estratégia adotada pelo investidor e as condições de mercado.
+

Desempenho Esperado

O mercado de ações e valores mobiliários em geral, assim como os mercados futuros e de opções, não oferece ao investidor rentabilidade garantida.
+

Custos

A taxa é cobrada pela Bovespa sobre o volume financeiro total operado no mercado de opções: Operações Normais, a taxa é de 0,095% sobre o volume operado no dia (compras + vendas). Operações de Day Trade, a taxa é de 0,02% sobre o volume operado no dia (compras + vendas). Tanto as operações de opções, quanto suas respectivas taxas são liquidadas em D+1. Os custos com corretagem gerados nas operações com opções são os mesmos cobrados nas operações com ativos:

  • Via Mesa de Operações: Tabela Bovespa aplicada segundo o volume operado.
  • Via Home-Broker: R$ 14,00 / operação.
+

Tributação

Nos mercados de opções, o ganho líquido será constituído:

  • 1 – Nas operações tendo por objeto a negociação da opção, pelo resultado positivo apurado no encerramento de opções da mesma série.
  • 2 – Nas operações de exercício da opção:
    • Comprador: no caso do titular de opção de compra, pela diferença positiva entre o valor da venda à vista do ativo na data do exercício da opção e o preço de exercício da opção, acrescido do valor do prêmio.
    • Vendedor: no caso do lançador de opção de compra, pela diferença positiva entre o preço de exercício da opção, acrescido do valor do prêmio, e o custo de aquisição do ativo objeto do exercício da opção.
Observações:

  • Não ocorrendo venda à vista do ativo na data do exercício da opção, o ativo terá como custo de aquisição o preço de exercício da opção, acrescido do valor do prêmio, na hipótese prevista no item "a";
  • Para efeito de apuração do ganho líquido, o custo de aquisição dos ativos negociados nos mercados de opções, bem como os valores recebidos pelo lançador da opção será calculado pela média ponderada dos valores unitários pagos ou recebidos;
  • Não havendo encerramento ou exercício da opção, o valor do prêmio constituirá ganho para o lançador e perda para o titular na data do vencimento da opção;
  • Para operações de Day Trade com Opções, o IR é retido na fonte com alíquota de 1% sobre o ganho apurado, o restante (19%) deverá ser pago pelo cliente no mês subsequente à operação. Nas demais operações, a alíquota do IR é de 15% sobre o ganho apurado que deverá ser recolhido por meio do carnê leão. Nas vendas acima de R$ 20.000,00 no mês haverá a incidência na fonte de 0,005%. Nas vendas abaixo de R$ 20.000,00 no mês, o cliente ficará isento do pagamento de IR.
+

Conflito de Interesse

É uma ação ou participação que pode ser direta ou indireta de qualquer profissional ligado à Instituição em situação que:

  • Propicie benefícios próprios e exclusivos;
  • Cause influência ou prejudique a condução das tarefas profissionais;
  • Possa causar prejuízos à reputação profissional ou à imagem da Instituição;
  • Desvie oportunidades de negócios da Instituição;
  • Gere concorrência com a Instituição em quaisquer atividades de negócios.


Qualquer situação que caracterize ou que possa vir a acarretar situações de conflitos de interesse deve ser avaliada com cuidado. Faz-se necessário que na avaliação antecipada sejam verificados aspectos com relação à recepção, intenção, impacto e objetividade da situação ou informação recebida ou fornecida.
Aluguel BTC
Características

O Aluguel de ações é uma alternativa de investimento para todos os momentos do mercado para quando você, investidor, acredita na queda do preço dos ativos ou para quando tem a expectativa de alta do preço.


Funciona da seguinte maneira: o detentor das ações, chamado de doador, autoriza sua transferência a um terceiro, o tomador, em troca de uma taxa acordada. O tomador pode vender esses ativos ou negociá-los no mercado, sendo obrigado a devolvê-los dentro do prazo estipulado entre as partes.


Na ponta tomadora as operações de aluguel de ações têm incidência de taxas de remuneração, registro e emolumento; A taxa de remuneração é determinada pelo doador e paga pelo tomador; A taxa de registro é cobrada pela Corretora, no valor de R$ 5,00 por papel/dia.; O emolumento dependente da natureza do contrato. Para empréstimos fechados voluntariamente, o emolumento é de 0,25% a.a. sobre o volume da operação, observando um mínimo de R$10,00. No caso de empréstimos compulsórios, fechados automaticamente pelo BTC para o tratamento de falhas, o emolumento é de 0,50% a.a., mas nessa situação não há cobrança de valor mínimo.


Enquanto, na ponta doadora não há custos.


As taxas são expressas em bases anuais, sendo cobradas pro-rata conforme o contrato.


Todos os clientes têm a possibilidade e facilidade de consultar as ofertas existentes de doadores e tomadores de ações antes da realização do negócio, através do Canal Eletrônico do Investidor (CEI), um serviço via Internet que permite acesso a todas as informações relacionadas às transações financeiras realizadas nos mercados da Bolsa, disponibilizando pela BM&FBOVESPA. Além disso, o cliente também conta com a opção de realizar consulta junto a Mesa de BTC.

+

Negociação e Liquidação

Doador


Repasse:
O Doador recebe um repasse de 0,05% ao ano* sobre o valor da taxa de liquidação do empréstimo paga pelo tomador da operação. *Líquido de tributos devidos à Bolsa
Proventos:
Os proventos atribuídos às ações no período do aluguel, como dividendos e subscrições, são destinados ao doador.

Prazo:
O doador deve determinar o prazo do aluguel de ações, informando a data final do aluguel.
Disponibilização:
Para disponibilizar sua carteira de ações como doador, basta entrar em contato com nossas mesas de operação e solicitar. É necessário que você tenha aderido ao contrato de BTC (Aluguel de Ações) e indique os ativos e quantidades que tem interesse em disponibilizar. Uma vez disponibilizado os ativos ainda aparecerão “livres” em sua custódia, porém já estarão cadastrados em nossa relação de doadores, sendo doados assim que encontrado um tomador interessado. Caso o cliente queira vender ou lançar opções sobre os ativos disponibilizados, deverá comunicar previamente às Mesas de Operação para que possa ser feita a exclusão de suas ofertas.


Tomador

Margens e Garantias:
O total exigido de garantias para uma operação de empréstimo é de 100% do valor dos ativos mais o intervalo de margem específico para cada ativo. A garantia deve estar disponível antes da confirmação da operação e o valor pode variar segundo o risco de mercado da ação. O valor das margens é acompanhado diariamente e, caso necessário, a corretora poderá solicitar chamadas de margem adicionais para o tomador.

Os seguintes ativos são aceitos pela CBLC como garantia e são definidos e revisados periodicamente:

  • Ações negociadas na Bovespa;
  • Moeda corrente nacional;
  • Títulos públicos;
  • Ouro (ativo financeiro);
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário).


Liquidação / Renovação:

  • A ação alugada poderá ser liquidada durante a vigência do contrato, em qualquer momento a partir do D+1 do registro de abertura, até a data de vencimento do contrato.
  • Caso não seja, o contrato será renovado automaticamente, tentando-se manter as mesmas características do contrato inicial desde que não haja oscilação nas taxas praticadas no mercado. Se houver alterações, o cliente será informado.
  • Caso o cliente queira liquidar o aluguel, a recompra das ações alugadas deverá ser feita com três dias úteis de antecedência da data de vencimento do aluguel.
  • Quando não existir ações disponíveis no mercado para renovar os contratos, o cliente será comunicado da necessidade de recomprar a posição ou de liquidar o aluguel.
  • Se as ações não forem entregues na data de vencimento do aluguel, a BM&FBOVESPA; bloqueia as garantias e cobrará multa diária de 0,20% sobre o valor do empréstimo, adicionalmente, o tomador será responsável por remunerar o doador, até a data da efetiva devolução dos títulos, considerando o dobro da taxa originalmente contratada.
  • Não ocorrendo a devolução dos ativos na data prevista, a BM&FBOVESPA; pode determinar a sua recompra para quitação perante o doador, podendo ainda executar as garantias prestadas, quando necessário.
  • Na data de renovação, caso o tomador já possua as ações e queira liquidá-las, deverá comunicar à Mesa de Operações impreterivelmente até as 10h, evitando assim que o aluguel seja renovado.
  • Somente após a liquidação dos contratos é possível solicitar à Bolsa a devolução das margens retidas, retornando para a conta do cliente apenas em D+4 da compra (dia seguinte da liquidação dos aluguéis).
  • Ocorrendo esta situação, o cliente estará sujeito à cobrança dos encargos, caso não tenha os recursos disponíveis em conta corrente no D+3 da compra do ativo objeto.

 

+

Garantias

Para o empréstimo de ações, a BM&FBOVESPA; atua como contraparte central de todas as operações, adotando para isso rígidos critérios de controle de riscos e regras para o correto funcionamento do mercado: limites operacionais; chamada de garantias do tomador e seu recálculo em base diária; execução de garantias do tomador no caso de não devolução dos títulos quando do vencimento da operação; emissão de ordem de compra para que os ativos devidos sejam adquiridos no mercado; e aplicação de multa diária ao tomador inadimplente.

Desde a criação do BTC, não houve nenhuma operação que tenha sido liquidada sem a devolução dos ativos e que necessitasse de adoção de mecanismos de execução de garantias e ordem de recompra.

Como contraparte central das operações, a BM&FBOVESPA; garante o anonimato das pontas participantes do contrato. Conforme a Instrução CVM 441, não se estabelece qualquer vínculo entre os doadores e os tomadores do empréstimo.
+

Risco

Risco de Crédito
É o risco associado ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte, de suas obrigações fiinanceiras nos termos e prazos pactuados, gerando inadimplência ou atraso na liquidação de suas obrigações, resultando em perda financeira para a parte credora;

Risco de Liquidez
É o risco associado à possibilidade de o cliente não possuir recursos financeiros suficientes em uma data prevista para honrar seus compromissos, em razão de descasamentos entre fluxos de pagamentos e de recebimentos seja por:

  • (a) dificuldade em negociar rapidamente ativos ou posições que possua, por falta de preços ou de liquidez de mercado;
  • (b) dificuldade para obter funding ou financiamento de sua posição de caixa e com isso manter suas obrigações financeiras adimplentes;


Para ambos os casos, o cliente estará sujeito a perdas financeiras.

Risco de Mercado
É o risco associado à possibilidade de perda por oscilação nos preços de ativos diante das condições de mercado. Esse tipo de risco está relacionado às operações realizadas nos mercados de ações, câmbio, taxa de juros e commodities, que podem ser feitas diretamente através da compra e venda de ativos ou operações com derivativos, podendo resultar, inclusive, em perdas ao patrimônio do cliente. Entre os fatores que afetam estes mercados, destacamos fatores econômicos gerais, tanto nacionais quanto internacionais, tais como ciclos econômicos, política econômica, situação econômico-financeira das empresas emissoras de ações e títulos e outros. Em caso de queda do valor dos ativos que compõem a carteira, o patrimônio do cliente pode sofrer perdas, dependendo do momento quando o cliente necessite se desfazer de suas posições.

Risco Proveniente do uso de Derivativos
Derivativos são instrumentos fiinanceiros cujas características estão vinculadas a outros títulos, ativos, ou instrumentos que lhe servem de referência. Como exemplo, podem ser mencionados: opções sobre ações, contratos futuros sobre o dólar comercial, sobre o índice BM&FBOVESPA;, sobre a taxa DI etc. Risco proveniente de operações realizadas nos mercados derivativos com a finalidade de proteção (hedge) ou alavancagem, que podem ser assim descritos:

  • Hedge:
    os derivativos são utilizados para reduzir exposições ao risco de determinado ativo/passivo ou mesmo de uma carteira. Nesse caso, o risco está associado a possíveis dificuldades de realização de uma proteção adequada, uma vez que nem sempre as alternativas disponíveis no mercado possuem exatamente as características da exposição que se deseja proteger, como por exemplo: prazo, indexador e outros motivos que causem o descasamento dos preços.
  • Alavancagem:
    operações com derivativos permitem que seja assumida uma exposição financeira maior que o investimento realizado ou patrimônio líquido em carteira, sendo assim as oscilações do mercado podem resultar em perdas maiores que o investimento realizado pelo cliente.

 

+

Permanência

Para o registro de um contrato de aluguel não há lote mínimo e nem tempo de investimento, observando a concordância do doador e os parâmetros de risco da Corretora.
+

Desempenho Esperado

O empréstimo de títulos é uma prática na qual, em troca de uma taxa acordada, o detentor de determinados títulos (doador do empréstimo) autoriza sua transferência a um terceiro (tomador do empréstimo).

Ou seja, desta maneira ambas as partes podem prospectar tanto seu rendimento (doador), quanto o seu custo (tomador), portanto, verificando o seu desempenho esperado.
+

Custos

Na ponta tomadora as operações de aluguel de ações têm incidência de taxas de remuneração, registro e emolumento; A taxa de remuneração é determinada pelo doador e paga pelo tomador; A taxa de registro é cobrada pela Corretora, no valor de R$ 5,00 por papel/dia.; O emolumento dependente da natureza do contrato. Para empréstimos fechados voluntariamente, o emolumento é de 0,25% a.a. sobre o volume da operação, observando um mínimo de R$10,00. No caso de empréstimos compulsórios, fechados automaticamente pelo BTC para o tratamento de falhas, o emolumento é de 0,50% a.a., mas nessa situação não há cobrança de valor mínimo.
 
 
Enquanto, na ponta doadora não há custos.
 
 
As taxas são expressas em bases anuais, sendo cobradas pro-rata conforme o contrato.
+

Tributação

Quanto ao aspecto tributário, para o Doador, a operação de empréstimo de ações possui característica de operação de renda fixa, dada a existência de taxa e prazo pré-determinados. Dessa forma, haverá incidência de Imposto de Renda sobre o rendimento.
Prazo
 
Alíquota
 
Até 6 meses 22,5%
Entre 6 e 12 meses 20%
Entre 12 e 24 meses 17,5%
Acima de 24 meses 15%

 

+

Conflito de Interesse

O empréstimo de títulos é uma prática na qual, em troca de uma taxa acordada, o detentor de determinados títulos (doador do empréstimo) autoriza sua transferência a um terceiro (tomador do empréstimo).
Ou seja, desta maneira ambas as partes podem prospectar tanto seu rendimento (doador), quanto o seu custo (tomador), portanto, verificando o seu desempenho esperado.
Características

Se você procura diversificar e alavancar seus investimentos o Mercado a Termo é uma ótima opção. Nele, compradores e vendedores fixam o preço de determinado lote de ações para liquidação em uma data futura predeterminada. Você, investidor, compra as ações financiadas por um terceiro, que cobra uma taxa do investidor financiado. Com isso, o espera-se que a taxa paga no financiamento seja menor do que a valorização do ativo comprado. Durante essa operação todos os direitos existentes sobre o papel à vista, incluindo lucros e dividendos, passam a ser do investidor.
+

Negociação e Liquidação

A cobrança dos custos operacionais da operação a termo é feita em D+3, ou seja, os recursos só serão debitados na sua conta na Um Investimentos três dias úteis após a operação. A liquidação da operação a termo é realizada na data do vencimento e pode ser feita de duas formas:

  • Liquidação Financeira - Com pagamento em dinheiro do valor integral do financiamento e juros.
  • Liquidação por Diferença - Com a venda do ativo três dias antes da data de liquidação (V-3). Neste tipo de operação, não é possível adiar a execução do pagamento sobre o ativo.


O cliente deve possuir os recursos suficientes para a liquidação da operação a termo, necessariamente, até as 10h da data do vencimento.

Caso o cliente não possua os recursos disponíveis para a liquidação da operação a termo até as 10h do dia do vencimento, será facultado a corretora bloquear a conta do cliente e promover a venda, a preços de mercado, de quaisquer títulos, valores mobiliários, derivativos e de quaisquer outros bens de titularidade do cliente que se encontrem sob a subcustódia da corretora, independentemente de aviso prévio, notificação judicial ou extrajudicial, aplicando-se o respectivo produto da venda no pagamento do seu saldo devedor.

Liquidação Antecipada: As operações a termo podem ser liquidadas antecipadamente, a critério do investidor. Neste caso, ele pode vender os ativos após a liquidação da operação inicial, ou seja, três dias úteis (D3) após realizar a operação.

As ordens recebidas devem, obrigatoriamente, conter as informações necessárias para que a Um Investimentos tenha tempo hábil para realizar a indicação dentro das grades de horários estabelecidas pela Bolsa:

  • Em até 1 hora após o registro dos negócios, quando se tratar de operações envolvendo derivativos de ações.
  • Em até 3 horas, a contar da hora do registro do negócio, para operações envolvendo o mercado à vista (após 30/09/2011 passando à ser em até 1 hora).


Não são permitidas alterações de indicação da conta máster fora do horário especificado. Exceções serão analisadas pela Bolsa e caso atendidas, serão reportadas para a CVM.
+

Garantias

A operação a Termo exige o depósito de garantias na CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia). O cálculo da margem da operação a termo leva em consideração o custo corrente da liquidação da posição e o financeiro adicional caso haja uma mudança adversa no mercado. Este valor é acompanhado diretamente e, caso necessário, a corretora poderá solicitar chamadas de margem adicionais para o investidor.

Os seguintes ativos são aceitos pea CBLC como garantia e são definidos e revisados periodicamente:

  • Ações negociadas na Bovespa
  • Moeda corrente nacional
  • Títulos públicos
  • Ouro (ativo financeiro)
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário)
+

Risco

Por não oferecer garantia de retorno, devem ser considerados investimentos de risco.
+

Permanência

A permanência na operação dependerá da estratégia adotada pelo investidor e as condições de mercado.
+

Desempenho Esperado

O mercado de ações e valores mobiliários em geral, assim como os mercados futuros e de opções, não oferece ao investidor rentabilidade garantida.
+

Custos

As operações a termo tem incidência da chamada de margem (garantias exigidas pelas Bolsas para realizar esses tipos de operações). O Cliente deverá antes de fazer a operação possuir essas garantias depositadas na corretora e a mesma poderá, caso o cliente não honre seus débitos liquidar a qualquer momento as operações em aberto do cliente que represente risco de inadimplência.
Para o caso de liquidação no mesmo dia do Termo o cliente deverá efetuar o aluguel de ações. A taxa de registro de aluguel de ações (BTC) é de R$ 5,00.

Os custos com corretagem gerados nas operações serão:

  • Via Mesa de Operações: Tabela Bovespa aplicada segundo o volume operado;
  • Via Home-Broker: R$ 14,00 por ordem executada.
+

Tributação

Para operações a Termo, o IR é retido na fonte com alíquota de 1% sobre o ganho apurado, o restante (19%) deverá ser pago pelo cliente no mês subsequente a operação.
Nas demais operações, a alíquota do IR e' de 15% sobre o ganho apurado que deverá ser recolhido por meio do carnê-leão.

Nas vendas acima de R$ 20.000,00 no mês haverá a incidência na fonte de 0,005%.
Nas vendas abaixo de R$ 20.000,00 no mês o cliente ficará isento do pagamento de IR.
+

Conflito de Interesse

A Corretora define como conflito de interesses uma ação ou participação que pode ser direta ou indireta de qualquer profissional ligado à Instituição em situação que:

  • Propicie benefícios próprios e exclusivos;
  • Cause influência ou prejudique a condução das tarefas profissionais;
  • Possa causar prejuízos à reputação profissional ou à imagem da Instituição;
  • Desvie oportunidades de negócios da Instituição; e
  • Gere concorrência com a Instituição em quaisquer atividades de negócios.


Qualquer situação que caracterize ou que possa vir a acarretar situações de conflitos de interesse deve ser avaliada com cuidado.
Faz-se necessário que na avaliação antecipada sejam verificados aspectos com relação à recepção, intenção, impacto e objetividade da situação ou informação recebida ou fornecida.
Fundos de Índice
Características

Se você quer ampliar sua carteira, o IShare (Fundo de Índice) é a melhor solução, as cotas são fáceis de serem adquiridas, oferecem liquidez diária e são negociáveis em Bolsa. Assim como os fundos indexados, os Fundos de Índice oferecem as vantagens da diversificação, acompanhamento de mercado e taxas de administração competitivas.


+

Negociação e Liquidação

As cotas dos Fundos de Índice iShares permitem a mesma flexibilidade de negociação das ações, e podem ser negociadas a qualquer momento durante o horário normal de um dia de pregão por intermédio da Um Investimentos, seja diretamente ou via home broker. Todas as estratégias de negociação associadas a ações, como ordens a mercado, ordens limitadas, ordens stop, etc. são permitidas.

O investimento mínimo para adquirir cotas de um Fundo de Índice iShares no mercado secundário corresponde ao lote padrão de negociação na BM&FBOVESPA;, que corresponde a 10 (dez) cotas do fundo, multiplicado pelo preço da cota na Bolsa. Isso torna os Fundos de Índice iShares um investimento acessível a investidores de diferentes perfis

As cotas de Fundos de Índice iShares são liquidadas em três dias úteis (D+3), assim como todas as operações envolvendo a negociação de ações na BM&FBOVESPA;.
+

Garantias

As ações adquiridas ficam custodiadas na Bolsa, porém não há garantia caso o cliente tenha prejuízo ao realizar uma operação.
+

Risco

Os investidores buscam rendimento, mas também precisam balancear o rendimento com fatores de risco. Ao comprar cotas de Fundos de Índice, o investidor diversifica suas posições de risco nos vários ativos que compõem a carteira, evitando assim o risco específico de investir em apenas uma ação. Isto pode lhe proporcionar o benefício de retornos menos voláteis, em média, quando comparados a investimentos em ações individuais.

Investidores que necessitem de proteção ("hedge") para posições de sua carteira eventualmente podem obtê-la ao alugarem as cotas de Fundos de Índice iShares e as venderem no mercado. Este tipo de operação também envolve riscos ao investidor. Uma descrição detalhada dos riscos de cada fundo pode ser encontrada em sua respectiva página nesta seção.

Os Fundos de Índice iShares têm o risco de mercado correspondente ao setor ou ao segmento de mercado coberto pelo índice de referência. Assim, se o índice de referência representar, por exemplo, as ações do segmento "small cap", o Fundo de Índice iShares terá o risco de oscilações de preços das ações deste segmento. Existe também o risco de descolamento (erro de aderência), ou seja, o risco de o fundo apresentar um desempenho distinto do índice de referência, uma vez que:

(i) a carteira do fundo possui ativos e passivos que não existem no índice ? como caixa, dividendos a receber e despesas devidas mas não pagas;

(ii) a carteira do fundo pode possuir os mesmos ativos do índice em proporção diversa deste (otimização da carteira). Os Fundos de Índice iShares adotam técnicas de otimização da carteira, visando reduzir custos administrativos, facilitar o processo de integralização e resgate de cotas no mercado primário e minimizar a participação de ações de baixa liquidez ou elevados spreads de compra e venda, mas ainda assim buscam proporcionar ao investidor retornos de investimento que correspondam, de forma geral, à performance, antes de taxas e despesas, do índice de referência;

(iii) a gestora pode negociar os ativos integrantes da carteira a preços distintos do preço de fechamento do dia, critério este utilizado pela BM&FBOVESPA; para precificar os ativos do índice; e

(iv) nos períodos de rebalanceamento do índice, a gestora compra e vende ações que respectivamente tiveram sua participação aumentada e diminuída no índice, mas os preços negociados não coincidem com as cotações de fechamento do dia de rebalanceamento.

É importante ressaltar que, ao investir em Fundos de Índice iShares, o investidor poderá com relação à parcela de no máximo 5% (cinco por cento) do patrimônio líquido do fundo, incorrer em risco de crédito dos emissores de títulos e valores mobiliários integrantes da carteira do fundo. O fundo tampouco utiliza alavancagem de suas posições em mercado.
+

Permanência

Não existe uma duração específica, pois tudo depende da estratégia e do perfil do cliente. Portanto, ele fazer day-trade, swing-trade, carregar posições, etc.
+

Desempenho Esperado

ETF’s são fundos passivos, ou seja, tem como objetivo seguir o índice de mercado. Os eventos que podem afetar o desempenho são perspectivas de mercado, notícias locais ou do mercado internacional, se negativas, podem afetar o desempenho das ETF’s.
+

Custos

O custo será o preço de negociação obtido na bolsa de valores, acrescido dos emolumentos da BM&FBOVESPA; e da taxa de corretagem praticada por sua corretora. As despesas de taxa de administração, assim como eventuais receitas provenientes de empréstimos de ações integrantes da carteira, estão incorporadas nas cotas do fundo.
+

Tributação

A carteira do Fundo de Índice iShares é isenta de tributação sobre movimentações, recebimento de dividendos e outros direitos. A legislação determina a tributação somente sobre o cotista do fundo, sendo fatos geradores as negociações de cotas do fundo no mercado secundário e, no mercado primário, a integralização de cotas em ações e o resgate de cotas em ações.

Como determinado no regulamento, no mínimo 95% (noventa e cinco por cento) da carteira do fundo será composta por ações do índice. A tributação de imposto de renda segue a regra dos fundos de renda variável, ou seja, não há antecipação de imposto ("come-cotas" semestral), mas tributação dos cotistas no momento da alienação das cotas à alíquota de 15% (quinze por cento) sobre o ganho de capital ? calculado pela diferença entre o valor da alienação e o custo de aquisição das cotas.

Mercado Secundário: A tributação de Imposto de Renda ocorre da mesma forma que nas alienações de ações na BM&FBOVESPA;. Se um investidor residente adquiriu e alienou as cotas do Fundo de Índice iShares na bolsas de valores, deverá calcular o ganho de capital auferido e recolher o imposto de renda de 15% (quinze por cento) sobre este ganho. Esta tributação não se aplica a instituições financeiras e outros investidores isentos de tributação sobre ganhos de renda variável negociados em Bolsa. Aplica-se ainda o imposto de renda na fonte, à alíquota de 0,005% (zero vírgula zero zero cinco por cento), na venda em bolsa de valores das cotas de Fundos de Índice iShares. Este imposto é compensável no recolhimento acima.

Mercado Primário: Na integralização de uma cesta de ativos em troca de cotas do Fundo de Índice iShares, a legislação de impostos de renda considera este fato uma alienação dos ativos por parte do investidor. Assim, caso o investidor obtenha ganho de capital nesta operação ? considerando o valor das ações alienadas ao fundo versus seu custo de aquisição ? ele deverá recolher o imposto de renda à alíquota de 15% (quinze por cento). Caso tenha adquirido as ações da cesta no mesmo dia da integralização não haverá ganho de capital, nem imposto de renda a recolher. Esta tributação não se aplica a instituições financeiras e outros investidores isentos de tributação sobre ganhos de renda variável negociados em Bolsa.

No resgate de cotas do fundo em troca da cesta de ativos, a administradora do fundo deverá reter na fonte o imposto de renda à alíquota de 15% (quinze por cento) sobre o ganho de capital – calculado pela diferença entre valor da cota de resgate e custo de aquisição. Investidores tributáveis sujeitos à tributação do imposto de renda precisam, nesta situação, apresentar ao agente autorizado cópia da nota de corretagem da aquisição das cotas de Fundo de Índice iShares ou cópia da confirmação de integralização de cotas do Fundo de Índice iShares até o primeiro dia útil seguinte à ordem de resgate, para fins de apuração do ganho de capital. Esta tributação não se aplica a instituições financeiras e outros investidores isentos de tributação sobre ganhos de renda variável negociados em Bolsa.
+

Conflito de Interesse

A Corretora define como conflito de interesses uma ação ou participação que pode ser direta ou indireta de qualquer profissional ligado à Instituição em situação que:

  • Propicie benefícios próprios e exclusivos;
  • Cause influência ou prejudique a condução das tarefas profissionais;
  • Possa causar prejuízos à reputação profissional ou à imagem da Instituição;
  • Desvie oportunidades de negócios da Instituição; e
  • Gere concorrência com a Instituição em quaisquer atividades de negócios.


Qualquer situação que caracterize ou que possa vir a acarretar situações de conflitos de interesse deve ser avaliada com cuidado.
Faz-se necessário que na avaliação antecipada sejam verificados aspectos com relação à recepção, intenção, impacto e objetividade da situação ou informação recebida ou fornecida.
O que é um IPO?
Características

 

Oferta Pública é a distribuição de ativos nos mercados primário e secundário que serão negociados em Bolsa de Valores. Quando uma empresa realiza essa distribuição pela primeira vez, ela é chamada de Oferta Pública Inicial, também conhecida como IPO (Initial Public Offering). Nesse caso dizemos que a companhia abriu seu capital em Bolsa, ou seja, passou a ter suas ações negociadas publicamente.

 

Tipos de ofertas públicas

 

Oferta Primária:

 

Oferta pública cujo objetivo é a venda de novas ações com a captação de recursos para a empresa. Pode existir quantas a empresa desejar fazer.

 

Oferta Secundária:

 

Oferta pública cujo objetivo é a venda de ações já existentes por parte dos atuais acionistas da empresa. Também pode existir quantas os acionistas desejarem fazer (a Redecard fez duas além da IPO, que foi mista). A venda das ações é feita dessa forma para impactar o menos possível o preço das ações (imagine um grande acionista vendendo ao mercado milhões de ações de uma vez só).

Inicial:

Oferta Pública Inicial ou IPO é a oferta em que a empresa ainda não possui o capital aberto e não negocia ações em Bolsa. Subsequente: É a oferta realizada pela empresa que já possui o capital aberto, com seus ativos negociados em bolsa, e deseja realizar novamente uma oferta pública.

Oferta Pública de Aquisição:

 

A Oferta Pública de Aquisição (OPA) é realizada para comprar ações de acionistas minoritários, em função, de alienação de controle, cancelamento do registro de capital aberto, entre outros motivos.

CLIQUE AQUI PARA ACOMPANHAR TODAS AS OFERTAS PÚBLICAS


+

Negociação e Liquidação

Regras de liquidação da Oferta Pública


Por força da Lei nº 9.613, de 03 de Março de 1998, sobre Lavagem de Dinheiro, a Um Investimentos somente pode acolher recursos remetidos comprovadamente pelos seus clientes. Recursos originados por terceiros serão prontamente devolvidos após identificação.

Na data de liquidação da oferta, os clientes deverão ter 100% do valor financeiro relativo aos ativos objeto da oferta pública, definido após o bookbuilding, depositados na sua conta na Um Investimentos. Os recursos devem estar na conta de liquidação da oferta. Caso contrário, estarão sujeitos à liquidação compulsória dos ativos necessários para quitação do saldo devedor, a valor de mercado, bem como haverá cobrança de encargos pelos dias de inadimplência (descasamento entre a data da liquidação da Oferta e a data de cobertura do saldo devedor pela venda dos ativos).

Caso o cliente venda seus ativos no primeiro dia de negociação e não possua o valor financeiro total na data de liquidação da oferta, será cobrada multa diária pela inadimplência, conforme previsto no Contrato de Intermediação e Subcustódia. A multa será cobrada diariamente no valor de 0,3% sobre o saldo devedor referente à liquidação da oferta pública.

Regras para confirmação de pedido de reserva em mais de uma oferta pública


Caso o cliente faça pedido de reserva em mais de uma oferta pública, o critério para confirmação dos pedidos obedecerá à ordem cronológica de recebimento pela Um Investimentos, respeitadas as garantias exigidas para cada oferta. Caso o investidor não possua garantia suficiente para cobrir todos os pedidos de reserva, alguns poderão não ser acatados. Ou seja, será atendido o pedido de reserva que for registrado primeiro na base de dados da Um Investimentos.

Caso o cliente não tenha garantia suficiente para que o seu primeiro pedido de reserva realizado seja aceito, automaticamente, utilizaremos suas garantias para atender ao segundo pedido de reserva da outra oferta e assim sucessivamente, desde que tais garantias sejam suficientes.

A Um Investimentos não será responsável pelos eventuais prejuízos ou danos sofridos pelo cliente em virtude da não observância das garantias mínimas exigidas, ficando o cliente inteiramente responsável pela disponibilização das garantias até às 15 horas da data de encerramento do período de reserva.

Novos Clientes


Os prazos informados são apenas para os clientes da Um Investimentos que já estejam com o seu cadastro concluído e atualizado. Os novos Clientes que desejarem participar da Oferta Pública deverão estar com a conta aberta na Um Investimentos e com as devidas garantias.

Regras de movimentação em ofertas públicas


Em três de agosto de 2006 foi publicado o Ato Declaratório Interpretativo nº 08/2006, da Secretaria da Receita Federal, estabelecendo que a aquisição de ações em oferta pública fora de bolsa de valores ('IPO') e em ofertas secundárias, desde que ocorram fora da bolsa, deverão ser realizadas exclusivamente por meio da conta depósito.

Ainda que o cliente tenha saldo suficiente em sua conta investimento, será necessária a transferência dos respectivos recursos para a conta corrente de depósito mantida junto à Um Investimentos. Por outro lado, caso os recursos utilizados na compra das ações já estejam na conta depósito, a alteração normativa não traz qualquer implicação, já que os recursos retornarão para a mesma conta, quando da venda destas ações.

Preço Maximo


A cada oferta você pode limitar o preço máximo por ativo que deseja pagar em relação ao valor definido no bookbuilding. Ou seja, determinar um preço limite a partir do qual sua reserva não será confirmada na CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia). Caso você não estabeleça o preço máximo, seu pedido de reserva será enviado para a CBLC e o preço de cada ativo adquirido será o de mercado, ou seja, o valor definido no bookbuilding.

Rateio


A cada oferta você pode limitar o preço máximo por ativo que deseja pagar em relação ao valor definido no bookbuilding. Ou seja, determinar um preço limite a partir do qual sua reserva não será confirmada na CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia).

Bookbuilding


É o processo de definição do preço do ativo no seu lançamento na bolsa de valores, no qual os principais agentes compradores definem o preço de cada ativo a ser negociado em bolsa, seja no mercado primário ou secundário. Garantia Para que o seu pedido de reserva em uma oferta pública aceito pela Ágora, é necessário que você tenha um determinado percentual do valor solicitado depositados na corretora. Este percentual é definido pela Ágora e varia segundo cada oferta. Alguns ativos, no entanto, são aceitos como garantia. Para consultar a lista, clique aqui. Valor da Reserva Cada oferta possui valores diferentes de reserva mínima e máxima por investidor.

Liquidação


A data de liquidação financeira dos ativos adquiridos por meio de uma oferta pública é determinado no cronograma de cada oferta pública. Caso o cliente não possua o valor financeiro relativo aos ativos depositados na data da liquidação, o cliente estará sujeito à liquidação compulsória dos ativos necessários para quitação do saldo devedor, a valor de mercado, bem como a cobrança de encargos pelos dias de inadimplência. Os ativos entram na custódia do investidor na data determinada no cronograma da oferta.

Para consultar o cronograma completo, consulte o prospecto da oferta pública.
+

Garantias

Para que sua reserva seja efetuada junto à CBLC é necessário que você tenha um percentual do valor solicitado na oferta, depositado em garantia na corretora. Este percentual é definido pela Um Investimentos e varia segundo cada oferta. Além disso, você deve estar com o Patrimônio declarado compatível com as aplicações financeiras realizadas na corretora. As garantias deverão estar visíveis nos sistemas da corretora até as 15h da data de encerramento do período de reserva, exceto Tesouro Direto e transferências bancárias via DOC que têm prazo específico.

Veja abaixo os ativos que são aceitos como garantias para efetivação do pedido de reserva em ofertas públicas, os prazos e regras específicos para cada um:

Ações aceitas em garantias na Bovespa:
Aceitamos como garantia o patrimônio do cliente, que compreende toda e qualquer custódia.

Moeda corrente nacional:
Serão aceitos DOCs realizados até um dia antes do término do período de reserva da oferta, assim como TEDs e Transferências realizadas até às 15 horas da data de encerramento do período de reserva;

Títulos públicos

  • Ouro (ativo financeiro)
  • Cotas do Fundo de Investimentos
  • Cotas de clubes de investimento
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário)


Os pedidos de reserva que não cumprirem todas as determinações presentes nestas instruções serão de exclusiva responsabilidade dos clientes, estando a Um Investimentos salvo de qualquer responsabilidade proveniente de eventuais fracassos ocorridos durante o período da Oferta Pública.

Para que o seu pedido de reserva em uma oferta pública seja aceito pela Um Investimentos, é necessário que você tenha um determinado percentual do valor solicitado depositado na corretora. Este percentual é definido pela Um Investimentos e varia segundo cada oferta.
+

Risco

RISCO DE CRÉDITO


É o risco associado ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte de suas obrigações financeiras nos termos e prazos pactuados, gerando inadimplência ou atraso na liquidação de suas obrigações, resultando em perda financeira para a parte credora.

RISCO DE LIQUIDEZ


É o risco associado à possibilidade de o cliente não possuir recursos financeiros suficientes em uma data prevista para honrar seus compromissos, em razão de descasamentos entre fluxos de pagamentos e de recebimentos seja por: Dificuldade em negociar rapidamente ativos ou posições que possua, por falta de preços ou de liquidez de mercado; Dificuldade para obter financiamento de sua posição de caixa e com isso manter suas obrigações financeiras adimplentes; Para ambos os casos, o cliente estará sujeito a perdas financeiras.

RISCO DE MERCADO


É o risco associado à possibilidade de perda por oscilação nos preços de ativos diante das condições de mercado. Esse tipo de risco está relacionado às operações realizadas nos mercados de ações, câmbio, taxa de juros e commodities, que podem ser feitas diretamente através da compra e venda de ativos ou operações com derivativos, podendo resultar, inclusive, em perdas ao patrimônio do cliente. Entre os fatores que afetam estes mercados, destacamos fatores econômicos gerais, tanto nacionais quanto internacionais, tais como ciclos econômicos, política econômica, situação econômico-financeira das empresas emissoras de ações e títulos e outros. Em caso de queda do valor dos ativos que compõem a carteira, o patrimônio do cliente pode sofrer perdas, dependendo do momento quando o cliente necessite se desfazer de suas posições.

Derivativos são instrumentos financeiros cujas características estão vinculadas a outros títulos, ativos, ou instrumentos que lhe servem de referência. Como exemplo, podem ser mencionados: opções sobre ações, contratos futuros sobre o dólar comercial, sobre o índice BM&FBOVESPA;, sobre a taxa DI etc.

RISCO PROVENIENTE DO USO DE DERIVATIVOS


Risco proveniente de operações realizadas nos mercados derivativos com a finalidade de proteção (hedge) ou alavancagem, que podem ser assim descritos:
  • Hedge:
    os derivativos são utilizados para reduzir exposições ao risco de determinado ativo/passivo ou mesmo de uma carteira. Nesse caso, o risco está associado a possíveis dificuldades de realização de uma proteção adequada, uma vez que nem sempre as alternativas disponíveis no mercado possuem exatamente as características da exposição que se deseja proteger, como por exemplo: prazo, indexador e outros motivos que causem o descasamento dos preços.
  • Alavancagem:
    operações com derivativos permitem que seja assumida uma exposição financeira maior que o investimento realizado ou patrimônio líquido em carteira, sendo assim, as oscilações do mercado podem resultar em perdas maiores que o investimento realizado pelo cliente.

 

+

Permanência

Algumas etapas das ofertas públicas possuem prazos:


  • Início do período de reserva
  • Fim do período de reserva, segundo cada modalidade
  • Data do bookbuilding
  • Início da negociação no mercado
  • Liquidação financeira da oferta

Pedido de Reserva


Os pedidos de reserva nas ofertas públicas são feitos em um período determinado no prospecto preliminar: começa no dia de início do pedido de reserva e termina no dia determinado no cronograma da oferta. É importante ficar atento aos prazos diferenciados para cada modalidade de investidor, quando houver.

Para que o seu pedido de reserva seja confirmado pela Um Investimentos e pela CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia), é necessário observar os seguintes aspectos:

  • Estar com o cadastro atualizado na Um Investimentos;
  • Possuir as garantias determinadas para a oferta;
  • Solicitar o pedido de reserva no prazo determinado, segundo a sua modalidade de investidor;
  • Não solicitar pedido de reserva por outra corretora.

Compra e venda


A aquisição de ativos em ofertas públicas é feita pela Um Investimentos, durante o período determinado no cronograma da oferta. A venda dos ativos deve ser feita pelo Home Broker, Mesa de Operações ou por uma plataforma profissional caso possua.

Liquidação


A data de liquidação financeira dos ativos adquiridos por meio de uma oferta pública é determinado no cronograma de cada oferta pública. Caso o cliente não possua o valor financeiro relativo aos ativos depositados na data da liquidação, o cliente estará sujeito à liquidação compulsória dos ativos necessários para quitação do saldo devedor, a valor de mercado, bem como a cobrança de encargos pelos dias de inadimplência. Os ativos entram na custódia do investidor na data determinada no cronograma da oferta.
Para consultar o cronograma completo, consulte o prospecto da oferta pública.
+

Desempenho Esperado

O mercado de ações e valores mobiliários em geral, assim como os mercados futuros e de opções, não oferece ao investidor rentabilidade garantida.
+

Custos

Os custos com corretagem gerados nas operações com a primeira movimentação serão:

  • Via Mesa de Operações: Tabela Bovespa aplicada segundo o volume operado;
  • Via Home-Broker: R$ 14,00 por ordem executada.
+

Tributação

Para operações com IPO, o IR é retido na fonte com alíquota de 1% sobre o ganho apurado, o restante (19%) deverá ser pago pelo cliente no mês subsequente a operação.
Nas demais operações, a alíquota do IR e' de 15% sobre o ganho apurado que deverá ser recolhido por meio do carnê-leão.

Nas vendas acima de R$ 20.000,00 no mês haverá a incidência na fonte de 0,005%.
Nas vendas abaixo de R$ 20.000,00 no mês o cliente ficará isento do pagamento de IR.
+

Conflito de Interesse

A Corretora define como conflito de interesses uma ação ou participação que pode ser direta ou indireta de qualquer profissional ligado à Instituição em situação que:

  • Propicie benefícios próprios e exclusivos;
  • Cause influência ou prejudique a condução das tarefas profissionais;
  • Possa causar prejuízos à reputação profissional ou à imagem da Instituição;
  • Desvie oportunidades de negócios da Instituição; e
  • Gere concorrência com a Instituição em quaisquer atividades de negócios.


Qualquer situação que caracterize ou que possa vir a acarretar situações de conflitos de interesse deve ser avaliada com cuidado.
Faz-se necessário que na avaliação antecipada sejam verificados aspectos com relação à recepção, intenção, impacto e objetividade da situação ou informação recebida ou fornecida.

 

 

 

rvariavel-rodape.jpg